terça-feira, 17 de junho de 2014

Copa do Mundo - Nós estamos aqui


E aconteceu mais um grande jogo na Copa do Mundo no Brasil. Alemanha e Portugal abriram nessa segunda - feira o grupo G na Arena Fonte Nova, recanto em que os baianos tiveram a oportunidade de acompanhar mais um grande jogo entre potências da Europa. Sim, mais uma goleada, que poderia até ser melhor ou pior que o jogo entre Holanda e Espanha. Os alemães mostraram quem é que manda na chave e colocaram o otimista Portugal de Cristiano Ronaldo, literalmente na roda. 

Muller foi o grande destaque da partida, o meia alemão marcou três gols, enquanto isso, do outro lado, Cristiano pouco fez. A Alemanha encontrou um Portugal nervoso e com muitos erros no seu sistema defensivo, aproveitou e matou o jogo ainda no primeiro tempo. Portugal e Alemanha, ambos apresentam um bom elenco e um time bem montado, arriscaria dizer sem medo nenhum que a Alemanha é mais time, mas acontece que durante o jogo, os portugueses não entraram psicologicamente no espirito da partida, ao contrário dos alemães, que não perdoaram. 

Copa do Mundo é que nem aquele filme " Onde os fracos não tem vez "; se Portugal entrar totalmente enfraquecido nas próximas decisões pela derrota sofrida, igualmente a Espanha, o passaporte de volta já está carimbado.



Olho Crítico 

Alemanha : Aproveitando dos bons momentos das últimas temporadas europeias de seus respectivos clubes, principalmente o Bayern e o Borussia, que sempre protagonizaram no continente, a seleção chega forte para essa Copa. Mesclando jogadores experientes com revelações, o time de Joachim Low joga sem nenhum atacante de ofício, herança herdada pelo famoso Carrossel Holandês de Cruyff na década de 70, e não tão distante assim, o Barça de Guardiola, que atualmente é técnico do Bayern. Na frente são todos meias de qualidade que fazem a bola rolar sobre suas movimentações, jogadores completos que além de saberem atacar, sabem muito bem se defender. Resumindo : Eles jogam bola.

Grande candidato ao título.

Portugal : Os portugueses a cada Copa que passa sempre mostram um otimismo sobre a competição. É aqueles times que vai e não vai, e o responsável por toda essa esperança do primeiro título mundial vem do brasileiro Felipão, que criou mais uma família Scolari com cerca de 10 milhões de pessoas a alguns anos atrás. Agora, com o melhor do mundo nos gramados, Portugal tem tudo para fazer uma excelente Copa, mas, Cristiano Ronaldo não é nenhum Super - Homem para levar os bigodudos nas costas. A seleção sofre naturalmente por sua falta de grandes jogadores e craques. Quem sabe mais alguns anos e o favoritismo bata na porta das caravelas portuguesas ?.

Mas..... tudo pode acontecer.


Portugal enfrentará o Estados Unidos, jogo difícil, e basta os portugueses usarem a superioridade a favor, assim como a Alemanha, que na segunda rodada pega Ghana. 

Até a próxima.

sábado, 14 de junho de 2014

Copa do Mundo - A Laranja Mecânica voltou


O primeiro jogo do grupo B foi marcado por uma goleada histórica, Holanda e Espanha se enfrentaram na Arena Fonte Nova ( Bahia ) e protagonizaram um jogo inesquecível. Para os Holandeses, claro, que meteram 5 a 1 na fúria, complicando a vida dos espanhóis no grupo. Vale lembrar que o duelo virou um clássico depois das duas seleções disputarem uma final de Copa do Mundo quatro anos antes, na África.

O primeiro tempo a Espanha jogou melhor, fez o primeiro gol de pênalti com o experiente Xabi Alonso e teve a bola da partida nos pés de Davi Silva, que em vez de fazer o simples, inventou uma cavadinha que custou a vida da Espanha. Certamente, com 2 X 0, o jogo seria outro. Logo depois, o ala Blind, que fez uma grande partida, acertou um cruzamento preciso encontrando o centroavante Van Persie, empatando a partida e colocando a Laranja Mecânica de volta a batalha. 

Ai, abriu a porteira, Robben em grande dia fez a festa e matou o jogo, Casillas e a zaga espanhola falharam muito, e junto com eles, a arbitragem, que até agora é a principal protagonista da Copa, não pelo seus feitos, mas sim, por seus amadores erros. 

Fez - se uma famosa e vingativa laranjada na Copa.


Olho Crítico 

Holanda : Os holandeses do técnico Van Gaal jogam com três zagueiros experientes, dois alas que apoiam muito bem, dois volantes, um meia armador e dois atacantes. Uma formação tática que preza muito bem o sistema defensivo e um contra - ataque versátil. Por ser uma formação defensiva, a Holanda precisa que seu ataque esteja afiado, com Sneijder, Robben e Van Persie dando conta do recado. Impressionante como a Holanda iniciou essa Copa do Mundo, não deixou se abater depois de ter perdido a taça nas mãos e chega forte para competição no Brasil.

Espanha : Uma pena que a Espanha tenha perdido dessa maneira, uma vergonha para os campeões mundiais. Para a estréia, Del Bosque resgatou o 4-4-2 clássico do time vitorioso da última Copa. Xabi Alonso e Busquets são os dois volantes, Iniesta e Xavi se encarregaram da armação junto com Davi Silva, e Diego Costa virou a referência.
Repetir fórmulas de sucesso não a nada de errado nisso, mas temos que entender que o ciclo do time espanhol está se encerrando, essa é a maior explicação e verdade para a atual fase da seleção. Os jogadores já não são mais os mesmos, e cabe a eles mudar o destino dos próprios no torneio. Elenco tem, e de sobra.

Mas ta na hora de começar do zero.


A Holanda enfrentará a Austrália, o saco de pancadas do grupo, e com a vitória certamente se consolidará como primeiro da chave. Já a Espanha enfrenta o imprevisível Chile, que apresenta um bom time e pode surpreender. Apesar de eu preferir o futebol sul - americano representado pelos chilenos nas oitavas, acredito na classificação da Fúria.